Infografia 2.1: a visualização da informação

infografia21

Alberto Cairo acaba de disponibilizar, em seu blog, um ensaio sobre visualização da informação. O material contém 16 páginas com muitas informações sobre o estado da arte da estética da informação.

Portanto, uma leitura imperdível.

Anúncios

Exemplos de infografias de 1º Fase

info_folha-on-line2

Via twitter do colega André Deak, vem a inspiração para este post.  A Folha On line produziu uma infografia, que no mínimo, arranca muitas gargalhadas. O título “90 anos do conflito em Gaza em Flash”  mostra um “timeline” dos conlfitos naquela região, mas tem um detalhe: a infografia, como diz Deak, é uma vergonha. Totalmente amadora, com ausência de imagens em movimento, e o que mais me chamou atenção: tem barra de rolagem (!!!).

 A propósito das infografias multimídias, quando transpostas para o ciberespaço, agregam outras funcionalidades características do meio, quais sejam: multimidialidade, interatividade, hipertextualidade – são algumas. O que parece contudo, é que as infografias produzidas no Brasil – salvo raras exceções – ainda operam na lógica do impresso. São estáticas demais para estar no ciberespaço, e algumas, lineares demais para a potencialidade da internet.

As infografias contemporâneas vivem numa fase de bastante produtiva e inovadora. Se vislumbra a inserção das bases de dados nas produções, o que as colocam num patamar diferenciado das demais. Claro que imagens em animações, 3D, entre outros elementos multimídias vão continuar com força total. As bases de dados não eliminam tais recursos.  Enquanto se debate os infográficos em bases de dados, as infografias brasileiras ainda tem muito o que amadurecer no quesito das potencialidades que o meio oferece para tornar as narrativas multimídias atraentes.

 O exemplo da Folha On line poderemos enquadrar na primeira fase das infografias, ou seja, nos “Primórdios” da infografia, apresentando-se de forma estática, e não apresenta nenhum tipo de avanço quanto à incrementação da narrativa visual, em que tanto a apresentação quanto a leitura é totalmente linearPortanto, esta fase apresenta características de transposição. A narrativa neste tipo de infográfico mantém semelhanças com um “story board” ou “slide shows“. A diferença é mínima.

Esta infografia me fez lembrar de um post feito pelo professor Ramón Salaverría em que elencou “o melhor da produção multimídia”. Na sua seleção, havia uma infografia feita pelo El mundo em 2000 (!!) intitulada “Huelga en Francia“. Pois bem, esta info, assim como o exemplo da Folha On line, são estáticas e não inovam no discurso visual. Ambas são exemplos de como não fazer infografias interativas.   

info_1-geracao

 

História da visualização de dados

historia-da-visualizacao-dos-dados

Bastante interessante e proveitoso este material sobre a História da infografia, feita por Michael Friendly e Daniel J. Denis, ambos da Universidade do  Canadá, com tradução do infografista brasileiro, Mario Kanno, autorizada pelos autores.

Neste doc, os primeiros mapas, diagramas, formas gráficas, o início da infografia moderna, bem como os momentos de maior destaque de cada período, são expostos de uma maneira didática (separada por datas e períodos) para um melhor entendimento acerca da infografia ou visualização de dados. Para quem trabalha e pesquisa sobre o tema com foco no impresso, está aqui um ótima compilação histórica do infográfico, consituindo numa espécie de linha do tempo sobre o assunto.

Kanno, que trabalha na área de infografia há algum tempo, também produziu um portfólio com o Passo a Passo da infografia e, assim como o outro, com bastante didatismo, e um Manual da infografia.

infografia-passo-a-passo_kanno

manual-de-infografia

Para colocar no delicious.

Malofiej 2009

 

malofiej-17

 

O maior prêmio de infografia mundial já tem data definida: O Malofiej 2009 acontecerá de 25 a 27 de março, como todos os anos na região de Pamplona, Espanha.  O Malofiej já está em sua 17º edição e premia as melhores infografias nos formatos – impresso ou digital- de jornais e revistas, bem como as agências e serviços de provedores de gráficos. O evento é uma realização da SND-E e acontece anualmente na Faculdade de Comunicação da Universidade de Navarra.