A narrativa visual em alta

Muito interessante o artigo recente  do Carlos Castilho, colunista do Observatório da Imprensa  sobre o crescimento das narrativas visuais no jornalismo, dica do @marcelofreire. Em “ A web impulsiona o crescimento da narrativa jornalística visual”, ele mostra como a web potencializa a produção das narrativas mais visuais no jornalismo e problematiza uma questão bastante pertinente: a de que ainda somos alicerçados em texto como ferramenta principal. Diz o artigo:

A estrutura material e mental para produzir conteúdos jornalísticos em texto não é a mesma da narrativa visual. Um quadro mais detalhado das diferenças ainda está por ser desenvolvido pois até mesmo o telejornalismo ainda se pauta basicamente pela mesma estrutura narrativa do jornalismo impresso.

E nesta conjuntura, a infografia – produto altamente visual, diga-se de passagem – é um dos produtos que mais explora as ferramentas e as tecnologias digitais para criar gráficos mais interessantes. A banda larga foi um fator determinante para que sistematização da infografia na web. Hoje podemos afirmar que a infografia já possui seu próprio status, no sentido de linguagem própria e autônoma na web, hoje com as bases de dados como elemento estruturador das informações.

Esse artigo me lembrou um micropost feito por João Canavilhas, via twitter, que mostra um gráfico (abaixo) enfatizando a profissão do infografista que está cada vez mais em expansão.  E nas palavras de Carlos Castilho “são virtudes especificas da Web que aliadas à facilidade na manipulação e transmissão de imagens permitirão aos jornalistas desenvolver narrativas noticiosas capazes de tornar ainda mais envolvente a imersão do público na informação.

Bom para profissionais e pesquisadores da área.

Anúncios

Two Visualization Tools

É o nome do artigo feito por Michael Burch, Felix Bott, Fabian Beck, and Stephan Dieh, todos pertencentes ao Departamento de Ciência da Computação, da Universidade de Trier, Alemanha e aborda as ferramentas de visualização da informação.

Pegando o gancho do post anterior, ele também está por trás do projeto TimeRadarTress.

Abstract.

Many recently developed information visualization techniques are radial variants of originally Cartesian visualizations. Almost none of these radial variants have been evaluated with respect to their benefits over their original visualizations. In this work we compare a radial and a Cartesian variant of a visualization tool for sequences of transactions in information hierarchies. The Timeline Trees (TLT) approach uses a Cartesian coordinate system to represent both the hierarchy and the sequence of transactions whereas the TimeRadarTrees (TRT) technique
is the radial counterpart which makes use of a radial tree, as well as circle slices and sectors to show the sequence of transactions. For the evaluation we use both quantitative as well as qualitative evaluation methods including eye tracking.

Íntegra.