Eventos sobre Visualização de dados, infografia e design 2011

Aqui uma pequena lista de eventos na área da visualização de dados, design e infografia.  Temas como esses são uma ótima maneira de ver, aprender, manter contato e se inspirar nos mais variados modos de visualizar a informação. Em tempo: a lista não é definitiva!

Malofiej (23 de março de 2011 – Escola de Comunicação da Universidade de, Pamplona, ​​Navarra, Espanha)

Visualizar’11

14 de junho de 2011 Plaza de las Letras, em Espanha, Madrid

SIGGRAPH 2011

7 de agosto de 2011 Centro de Convenções de Vancouver, Canadá

SND STL

29 de setembro de 2011 São Louis, EUA

Visualização na Era da Informatização

25 de março de 2011 Saïd Business School da Universidade de Oxford, no Reino Unido

Dados 2,0

04 de abril de 2011 Mission Bay Conference Center, em San Francisco

Estética Computacional

05 de agosto de 2011 Centro de Convenções de Vancouver, Canadá

 

Oficina de jornalismo digital e infografia

Durante o I Ciclo de debates em Comunicação e Jornalismo Contemporâneos na UEPB, ocorrido no dia 14/03, ministrei a Oficina de Jornalismo Digital e Infogafia como parte do evento. Foi bastante produtivo, sala cheia e alunos/participantes atentos às discussões expostas em sala.

Aqui, um resumo e fotos do evento.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Jornalismo Digital e infografia são temas de oficina

Alan Soares (Reportagem)
Julio Cezar Peres (fotos)

A oficina “Jornalismo Digital e Infografia”, ministrada pela Profa. da  UEPB, Adriana Alves, teve a proposta de discutir os processos comunicacionais e as práticas do jornalismo praticado na web, tendo em vista o contexto tecnológico e as mudanças pela qual o jornalismo vem sofrendo, a exemplo da convergência midiática.  Para a professora, a relevância desta temática no contexto das mídias digitais coloca a discussão num patamar mais amplo, que envolve desde a formação universitária ao domínio das ferramentas para o exercício do jornalismo.

Trazendo um percurso histórico com  temas desde o surgimento da internet, as gerações do jornalismo digital, as características,  e suas implicações, a professora enfocou que, embora imersos numa conjuntura permeada pelas tecnologias digitais, há um denominador comum que não muda, mas se reconfigura: a prática jornalística. Ela afirma que o bom jornalismo independe de suporte, este pode ser feito em qualquer veículo. “O que muda, e está mudando são os mecanismos que auxiliam no exercício do jornalismo, desde a apuração, edição, produção e circulação destas informações, e a forma como consumimos esse conteúdo”, frisou a professora considerando a  carência existente sobre palestras que norteassem essa problemática.

Outro ponto abordado durante a oficina girou em torno das ferramentas que os jornalistas devem dominar para auxiliar o trabalho jornalístico, em destaque as redes sociais como Twitter, facebook. “São ferramentas que tem o objetivo de agilizar o trabalho jornalístico tendo em vista a superabundância de informações diante de um fluxo contínuo de mensagens. Assim, é de suma importância hoje em dia o conhecimento delas”, disse a professora, enfatizando o perfil do profissional para estas novas mídias denominada de “multitarefa”. “O mercado de trabalho está mais exigente, então sai na frente aquele que dominar as ferramentas tecnólogicas aliados ao um bom exercício da profissão”.

Para a  jornalista  Marcia Marques Cavalcante (26) o mini-curso trouxe amplo conhecimento para o que estava proposto, e afirmou também, que o jornalismo digital é base hoje em dia para quem pretende sobreviver da profissão.

Enfatizando sobre a ascensão da infografia, outra temática explorada na oficina, e suas respectivas fases,  a  professora promoveu debates e questionamentos sobre a questão, dando ênfase a “Era da infoestética” que emergiu pela visualização de dados no jornalismo como forma de diferenciar e  compreender as informações através do relato visual. “A visualização de dados ajuda no entendimento da informação, onde o usuário, interagente, pode fazer parte desse processo. Ou seja, ele pode ser o protagonista da história”, destacou.

Com 39 inscritos e  com exposições de experiências atuais sobre “Jornalismo Digital e Infografia”, a Oficina terminou com propostas de continuidade, usufruindo das ferramentas dos jornalistas, como o blog, que a professora disponibilizará o material usado na oficina e  informações para os participantes sobre a temática exposta.

texto originalmente publicado no blog do evento.